Unidade Itaim Bibi (11) 3071-2977 (11) 95604-6875 Unidade Guarulhos (11) 2937-6000 (11) 97285-1107

​Explante em bloco de prótese de mama

Há algumas situações em que são necessárias retirar toda a prótese de mama e sua cápsula, em uma peça única. A cápsula é uma “pele” que se forma em torno da prótese como uma reação do organismo frente a esse corpo estranho.

As doenças que exigem a retirada da prótese de mama em bloco, também conhecido como explante em bloco, são o linfoma anaplásico de células grandes, a síndrome ASIA e a contratura capsular avançada. Todas essas doenças estão melhor explicadas no E-book disponível no site.

Existe muita confusão em relação aos termos utilizados na cirurgia de retirada do implante e cápsula. As definições mais comumente utilizadas são:

Capsulotomia: a cápsula é incisada para que haja aumento do tamanho da loja, do espaço em que estava a prótese prévia. Neste caso a cápsula não é retirada.

Capsulectomia parcial: retirada de parte da cápsula.

Capsulectomia total: retirada total da cápsula. Muitos cirurgiões utilizam capsulectomia total e explante em bloco como sinônimos, mas na capsulectomia total não está necessariamente implícito que a cápsula e a prótese serão retiradas em bloco. Na capsulectomia total o cirurgião pode abrir a cápsula e retirar a prótese para posteriormente realizar a retirada de toda a cápsula.

Explante em bloco: retirada da prótese e da cápsula em uma única peça, sem rompimento da cápsula e sem contaminação do silicone no campo cirúrgico. É a cirurgia preconizada no tratamento de doenças associadas ao implante de silicone.

Na figura acima é possível ver na imagem à esquerda a retirada da prótese e cápsula em uma única peça e na imagem à direita a prótese retirada de dentro da cápsula. Notar como neste caso a contratura da cápsula estava avançada, causando distorção do formato da prótese.

Para maiores informações sobre explante em bloco e capsulectomia total em São Paulo e no Itaim Bibi, favor agendar uma consulta.

Quais as dúvidas mais frequentes sobre as Doenças do Silicone

1) O cirurgião plástico é especialista com formação adequada e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica?
Checar as credenciais e currículo do médico

2) O cirurgião tem experiência em retirada da prótese em bloco?
O cirurgião deve ter familiaridade com o procedimento. Procurar por referências.

3) Quais exames serão feitos na cápsula ou líquido resultantes do explante?
Normalmente a cápsula é enviada para anatomia patológica. Havendo líquido ou suspeita de linfoma esse material é enviado para análise imunohistoquímica de CD30 e cultura de bactérias e pesquisa de fungos.

4) Quanto tempo irá durar a cirurgia, qual o tipo de anestesia e quais incisões serão utilizadas? Quanto tempo de internação e o período de afastamento do trabalho e das atividades físicas.
A cirurgia pode levar de 2 a 4 horas, sob anestesia geral. Podem ser utilizadas incisões em cicatrizes prévias da mama ou incisões novas em torno da aréola ou em T invertido. A internação pode ser de 12 a 24 horas e o período de afastamento do trabalho varia de 15 a 30 dias.

5) Quais os riscos no pós operatório?
Os riscos podem estar relacionados a reações alérgicas da anestesia e aos riscos da cirurgia como hematoma, infeção, abertura de pontos e trombose.

6) É possível tirar fotos das próteses com a cápsula e as próteses após retirada das cápsulas?
Sim, é possível, mas deve ser conversado previamente com o cirurgião plástico.

7) Posso ficar com as próteses?
Sim, desde que respeitado as normas estabelecidas pelo hospital em que a cirurgia foi realizada.

Procedimentos Relacionados

AGENDAMENTO ONLINE